Início » Cuidados com o bebê » Alojamento conjunto na maternidade

10/12 2009

Alojamento conjunto na maternidade

Por Alessandra | Sem Comentários

Nós três aprendendo a amamentar na maternidade

Antes de engravidar ouvi muito falar sobre o tempo que a mãe passa na maternidade: “Tem que aproveitar para descansar porque em casa a mãe não consegue dormir.” – diziam. Depois, quando começaram a deixar os bebês mais tempo nos quartos só os levando à noite para o berçário reforçavam: “Melhor chamar a enfermeira e pedir para ela levar o bebê quando ele estiver chorando muito”.

Nunca entendi muito bem o que isso queria dizer. Pensava: “Deve haver algum muito ruim em ser mãe para que elas decidam que seus filhos devam ficar longe assim”. Então, em minha leituras gestacionais (rs) vi que eu tinha direito a pedir alojamento conjunto, ou seja, o bebê poderia ficar comigo todo o tempo e sob os meus cuidados (banho, fralda, chororô) e o quanto isso era importante para nós dois.

>> Isso evitaria que as enfermeiras dessem glicose ou fórmulas para a Gabi quando ela estivesse chorando, o que atrapalharia nossos primeiros momentos de amamentação.
>> Ela não teria que ficar chorando sem parar porque eu e o Rô poderíamos dar colinho sempre que precisasse. Pense bem, um bebê recém-nascido precisa de consolo e conforto. É tudo muito novo. Precisa do cheirinho e da voz da mamãe para sentir-se seguro.
>> Eu poderia dar o peito sempre que achasse necessário.
>> E estaríamos nos adaptando para nossa nova vida.
>> Quem melhor do que os pais para cuidarem do bebê?

E foi isso o que escolhemos. Na maternidade as enfermeiras nos olhavam com estranhamento: “Por que essa mãe não deixa que a gente cuide do bebê dela?”
Foi uma decisão muito acertada. Bibi só teve que sair do quarto para pesar, sempre com supervisão do papaizinho. Ter uma pediatra particular ajudou muito, já que Bibi não precisou ficar exposta no berçário peladinha chorando e esperando o banho como os outros bebês.
Se ela chorou à noite? Sim, e a embalamos, demos peito e aprendemos a consolá-la. Trocamos todas as fraldas e aprendemos tudinho na raça.

Eu não podia imaginar minha pequena chorando sozinha enquanto eu ficava no quarto deitada vendo TV… Pode parecer exagero. Mas sinto que fez toda a diferença em nossas vidas ela estar lá o tempo todo conosco.

Recomendo a todas as grávidas. Não tenham medo.

Beijos
Lelê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolhi ser Mãe | 2013
Por Alessandra Rebecchi Feitosa - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Estúdio Jabuticaba em Wordpress