Início » Parto » Motivos para optar pelo parto humanizado

31/7 2009

Motivos para optar pelo parto humanizado

Por Alessandra | 1 Comentário

Algumas pessoas não conseguem entender os motivos que fazem algumas mulheres optarem pelo parto humanizado. Mas posso explicar aqui à partir da minha experiência. Assim que eu soube que estava grávida comecei a ler muito sobre gravidez e partos. Essa vocação pelo maior e melhor número de informação é algo que sempre tive.
A gravidez sempre foi um sonho, o parto eu imaginava como um momento muuuito especial.

Li relatos de partos em blogs, e percebi que algumas mulheres haviam optado pelo parto natural. Seus relatos eram cheios de amor e emoção (eu sempre chorava ao lê-los). Achei que se eu simplesmente optasse pelo parto normal com minha obstetra tradicional (e eu achava que essa opção era minha), eu poderia ter um parto lindo.

Mas aprendi que isso não aconteceria… Os médicos tradicionais fazem as escolhas por suas pacientes, quase 100% das vezes roubando a experiência do parto das mamães. Fazem isso por conveniência e falta de experiência com partos normais. Quando deixam o normal acontecer, querem estar no comando, ter o controle de tudo, e a mãe que se submeta. Mas parto não é um ato médico. E, para ter a experiência que sempre sonhei, abençoada e cheia de paixão, tive que fazer minha escolha.

Vejas algumas das intervenções que são condenadas mas que continuam em prática na maioria dos hospitais e muitos privados:

INTERVENÇÃO PORQUE
AINDA É FEITA
PORQUE
DEVERIA SER ABOLIDA

A proibição da presença de um(a)
acompanhante, que já é garantida por lei
estadual em muitos Estados…
Alega-se
que o acompanhante atrapalha ou que não há
espaço para eles.
O(a)
acompanhante dá mais tranqüilidade à
parturiente e inibe abusos da equipe hospitalar.
Lavagem
intestinal…

Diz-se que faz acelerar o trabalho de parto e que as fezes
poderiam contaminar o bebê.

É incômodo para a maioria das mulheres e
estudos comprovam que seu uso não traz as vantagens
alegadas.
Raspagem
dos pêlos pubianos…
É
feita porque acredita-se que o parto fica mais “higiênico”.
Pode
haver inflamação local e o crescimento dos
pêlos é incômodo. Seu uso é
comprovadamente desnecessário.
Uso
de violência verbal e psicológica, frases
do tipo “não grita, ou eu não vou te
ajudar”, “na hora de fazer você não
gritou”, etc..
Acredita-se
que palavras de ordem e broncas possam acalmar mulheres
assustadas e nervosas e assim organizar o serviço
médico.

O que faz uma mulher gritar e perder o controle no trabalho
de parto, geralmente pode ser resolvido com carinho, um
afago e um pouco de atenção.
Uso
rotineiro de soro com hormônio ocitocina…

Porque provoca mais contrações e assim faz
com que o parto seja mais rápido e o leito seja
liberado.
As
dores do parto com ocitocina ficam insuportáveis
e podem provocar sofrimento fetal.

Jejum durante o trabalho de parto…
Diz-se
que no caso de uma cesárea, pode haver problemas
de aspiração do alimento.
O
jejum provoca fraqueza, o que pode causar sérios
problemas no parto. O evento de aspiração
é tão raro, que não pode ser usado
como justificativa.
Restrição
da movimentação, fazendo com que a mulher
fique deitada durante todo o trabalho de parto…


Alega-se que não há espaço nos centros
obstétricos para as mulheres caminharem e mudarem
de posição. Diz-se que é mais “seguro”.

Estudos provaram há muito tempo que a mulher
deve ter liberdade de posição e movimentação
durante todo o trabalho de parto e parto.
Parto
em posição ginecológica, com a mulher
deitada de costas com as pernas para o alto…
Facilita
a ação e intervenção do médico.
Faz
o parto ser mais lento, diminui a oxigenação
do bebê, é desconfortável para a mulher.

Uso rotineiro de episiotomia (corte para aumentar a abertura
da vagina) em 70-80% dos partos normais, quando o recomendado
é 15-20%…

Alega-se que a episiotomia é necessária.
Na verdade há uma grande desinformação
dos médicos e serviços médicos sobre
a necessidade desse procedimento.

Aumenta a chance de sangramentos, inflamações
e infecções. Pode causar problemas na relação
sexual. Pode provocar incontinência urinária.

Separação do bebê logo após
o parto, sem que ele e a mãe possam se tocar, se
olhar e ter a primeira chance de amamentação…

É
feito para que o bebê seja examinado e lavado.
O
pós-parto é o momento mais importante para
a mãe e o bebê estabelecerem o vínculo.
A amamentação precoce faz a saída
da placenta ser mais rápida, com menos sangramento.

Autora da tabela: Ana Cris Duarte

Tabela extraída do site www.amigasdoparto.com.br

Tags: ,

Uma resposta para “Motivos para optar pelo parto humanizado”

  1. […] normal, já bateu um papo com seu obstetra sobre suas condutas na hora do parto? No post sobre Motivos para optar por um parto humanizado, escrevi sobre as intervenções comumente usadas pelos médicos tradicionais, mas que são […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolhi ser Mãe | 2013
Por Alessandra Rebecchi Feitosa - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Estúdio Jabuticaba em Wordpress