01/8 2012

Dia Mundial da Amamentação

Por Alessandra | Sem Comentários

Neste 01/08, Dia Mundial da Amamentação, quero comemorar nossa linda história de amamentação. 2 anos e 11 meses de muito tetê direto do peito da mamãe. Deitada em meu colinho, olhos nos olhos, sorrisos e carinhos…
A amamentação continuada é uma ato especial, que nutre e protege a criança, protege a mãe, e nutre ainda mais esse amor.

Desmame? Quando nós duas entendermos que chegou o tempo tomaremos essa decisão 😉

Tags: , , ,
14/5 2011

Mamaço, uma causa nobre

Por Alessandra | Sem Comentários

Foto reprodução Monalisa Lins/ UOL

Ontem eu e Gabi participamos de um mamaço no Itaú Cultural. 
Eu havia lido sobre esta manifestação na lista de mães da qual faço parte na internet e decidi participar com minha bezerrinha. Fomos eu, ela e os seus tetês de metrô. Bibi adorou seu primeiro passeio em transporte coletivo.

A manifestação teve início por conta de uma mãe ter sido impedida de amamentar seu bebê durante sua visita a uma exposição naquele espaço. O que era para ser apenas um protesto, tornou-se um evento de promoção do aleitamento materno em locais públicos, graças ao posicionamento do diretor da instituição, que desculpou-se pelo terrível incidente e decidiu apoiar a nossa causa.  

Assim que chegamos ao local, sentei-me e Gabi ficou super à vontade para mamar. Ao nosso lado estavam outras tantas mães e suas crias, também mamando. Emocionei-me ao presenciar mães unidas doando-se a seus filhos e eles retribuindo com seus olhares de amor. Amamentação não se explica, só quem já viveu sabe o que é esse amor. O que a gente faz questão de explicar são os benefícios que elas traz para mãe e bebê; que o ideal é que ela seja exclusiva até os seis meses e prolongada por, NO MÍNIMO, os dois anos de idade; e que este é um gesto lindo e não agressivo, portanto, pode ser feito em qualquer lugar. Coibir o direito da criança de mamar é um crime. Não queremos constranger ninguém com este ato, muito menos expor nossa intimidade, mas precisamos garantir o direito de nossos bebê mamarem aonde estiverem.

Fiquei feliz por ter ido; feliz por conhecer maternas que, até então, só conhecia através de conversas pela internet; feliz pela Gabi ter curtido o passeio; feliz pelo apoio que meu marido me deu e feliz por ter apoiado esta nobre causa.

Aqui você confere um resumão de tudo o que a mídia publicou sobre o nosso mamaço.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=DGxL_U8eWa0]

Tags: , ,
25/3 2011

Um elogio para o coração

Por Alessandra | Sem Comentários


Já faz algum tempo que não posto por aqui. E a razão de tudo isso é que nossa vida anda bastante corrida. Além disso, dentro das escolhas que fiz para nós, está o fato de que prefiro investir o tempo em que a Gabi está acordada em atividades com ela. E aí, o tempo para a internet fica meio escasso mesmo. Escolhas… O tempo todo temos que fazê-las… E escolher por uma opção implica em abrir mão de outra, normal, claro.

E esta paradinha em pleno início de madrugada é justamente para falar sobre elas, escolhas.
Como a maioria de vocês sabe, tomei decisões que fugiam do senso comum quando o assunto era Gabriela. Muitas delas ainda me rendem boas discussões por aí. Não sou do tipo que bate boca, mas acho importante compartilhar minhas ideias do bem para, quem sabe, ajudar outras mamães pelo mundo afora. Caras feias, narizes tortos e comentários desnecessários à parte, tenho me saído bem no quesito levar minhas escolhas adiante. Ter um marido que me apoia é fundamental e uma benção de Deus. Mas tem horas que o questionamento alheio meio que incomoda, sabe? Sou de carne e osso, afinal de contas.

Essa semana levei a Gabi ao pediatra. Nosso querido e humanizado Dr. Douglas.
Disse, como sempre, que minha princesa está ótima, saúde e desenvolvimento perfeitos! Mas disse mais.
Falou que o fato dela nunca ter precisado tomar antibiótico ou outra mediação qualquer se deve à amamentação prolongada. Disse que a opção que fiz por deixar o trabalho fora para estar ao lado dela nesses primeiros anos de vida trará resultados valiosos demais. Que a alimentação dela é nível “premium”, um exemplo. E que fica muito feliz em encontrar crianças com mães com este tipo de comprometimento.

Sabe, isso não serve para desvalorizar mães que não puderam optar pelas mesmas escolhas que fiz. Mas foi um elogio muito importante para o meu coração de mãe. Estamos sempre na neura de estarmos fazendo o melhor ou não para os nossos pequenos e saber que estou percorrendo um caminho de benção é muito bom.

Ok, ele é apenas um pediatra, eles servem apenas para nos orientar. Mas a palavra de Deus diz que a Sua paz é o árbitro do nosso coração. O meu está bem em paz com as minhas escolhas. Creio, então, que são escolhas do meu Deus.

Beijos e Deus os abençoe
Lelê

Tags: ,
05/8 2010

10 passos para o sucesso do aleitamento materno

Por Alessandra | Sem Comentários

O tema da campanha da Semana Mundial do Aleitamento Materno 2010 é muito importante. Trata-se da concientização dos profissionais de saúde que orientam as novas mamães sobre a amamentação. São os 10 passos que tornam um hospital Amigo da Criança.

Tema fundamental, já que informação é tudo. Uma mãe bem orientada saberá o que fazer para ter uma história de aleitamento de sucesso. É muito triste ver que alguns bebês deixam de mamar por conta de pediatras que não tratam o aleitamento materno como prioridade. Já vi pediatra que proibiu a mãe de amamentar o bebê que estava com icterícia no maternidade fazendo com que nunca mais ela o conseguisse amamentar. Já vi pediatra que insiste em dar complemento, mesmo sabendo que é normal o bebê perder peso na primeira semana, promovendo o desmame logo em seguida. Já vi pediatra brigar com mãe que insistia em amamentar o bebê dizendo que ele não estava gordinho o suficiente.

Outro dia vi, em uma reportagem, um médico explicando porque tantos pediatras indicam o complemento (leite de vaca) logo de cara: “É muito mais fácil indicar a mamadeira do que lidar com a insegurança da mãe de primeira viagem com relação à amamentação.” E você sabe que isso faz o maior sentido. Pois eu liguei algumas vezes para o pediatra da minha filha para tirar dúvidas sobre a amamentação e ele, sempre atencioso, me ajudou muito. Mas nem todo profissional quer ser tão profissional assim, né?

Encontro por aí mães tristes e machucadas por não terem conseguido amamentar seus pimpolhos. Culpa da desinformação, sempre. Pitacos alheios desnecessários e trágicos.

Quando Gabi era pequenina (3 meses) a levei em uma festa de adultos. Claro, ela mamava em livre demanda e fiz questão de não deixá-la naquela ocasião. Alí encontrei a mãe de uma bebê de quase 1 mês, que havia ficado em casa com a babá. Por conta de um médico como os tais que citei acima, aquela mãe já havia se convencido de que não era capaz de amamentar sua bebê e havia aderido exclusivamente à mamadeira. “Ela não quer meu peito” – dizia a moça triste. Esse é o grande problema de dar mamadeira e chupeta a um recém-nascido: confusão de bicos. É mais fácil sugar a mamadeira do que o peito.

Bom, falo rapidamente aqui sobre os tais 10 passos:
DEZ PASSOS PARA O SUCESSO DO ALEITAMENTO MATERNO
Todo serviço de maternidade e de cuidado de recém nascidos deverão:
1. Ter uma política de aleitamento materno escrita que seja comunicada periodicamente aos funcionários.
2. Treinar todos os funcionários para efetuar essa política.
3. Informar a todas as gestantes sobre os benefícios e a prática do aleitamento materno.
4. Ajudar as mães a começar o aleitamento na primeira meia hora após o parto.
5. Ensinar às mães como amamentar e como manter o aleitamento mesmo ainda se separadas dos seus bebês.
6. Não dar aos recém nascidos nenhum outro alimento nem bebida que não seja o leite materno, fazê-lo só por indicação médica.
7. Praticar o alojamento conjunto; deixar mães e bebês juntos as 24 horas do dia.
8. Estimular que o aleitamento materno seja à livre demanda.
9. Não dar mamadeiras, chupetas e outros bicos artificiais aos bebês amamentados.
10. Promover a criação dos grupos de apoio ao aleitamento materno e encaminhar às mães
aos mesmos.
Fonte: www.worldbreastfeedingweek.org

Tags:
03/8 2010

Semana Mundial de Aleitamento Materno

Por Alessandra | Sem Comentários

 
Estamos na SMAM 2010 (Semana Mundial de Aleitamento Materno) e vou aproveitar para fazer alguns posts sobre este assunto que amo e defendo!

Lembro-me da minha expectativa por este grande momento. Eu sabia que um parto natural propiciaria a amamentação nos primeiros minutos de vida de minha filha e eu esperei por aquele momento com todo o meu coração.

Ela veio para o meu colo, olhou em meus olhos e nós nos reconhecemos. Dra. Nina, a pediatra, a posicionou em frente ao meu seio e ela começou a sugar… foi maravilhoso. O início de nossa história de sucesso em amamentação. Amamentar alimenta, conforta, constrói laços e salva vidas.

Gabi amamentou exclusivamente até os 6 meses. Sim, sem água, chá, nadica de nada. Peitico em livre demanda e só. Derrubamos mitos e preconceitos. Fomos até o fim. Nada de chupetas ou mamadeiras.

Minha princesa está com 11 meses. Continua mamando intensamente. Muito mesmo. Aos 6 meses iniciamos a introdução da alimentação complementar,  mas só agora ela come maiores quantidades. Nada de mais para uma bebê que ainda mama no peito. Mas até quando mesmo? – insistem em me perguntar. Até quando ela quiser. O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde incentivam o aleitamento materno até, pelo menos, 2 anos de idade. E o próximo bebê? Virá quando tiver que vir e, se precisar, vai dividir o peitico com a mana mais velha sim.

Algumas informações sobre a importância de manter a amamentação após os 6 meses:
“Dados da Sociedade Brasileira de Pediatria mostram que, em média, bebês de seis a oito meses obtêm 70% de suas necessidades energéticas no leite materno. Os que possuem de nove a 11 meses têm 55% e os com 12 a 23 meses detêm 40% das necessidades nutricionais com o leite materno.” – retirado do Blog Carinho e Aconchego.

Beijos
Lelê

Tags:
Escolhi ser Mãe | 2013
Por Alessandra Rebecchi Feitosa - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Estúdio Jabuticaba em Wordpress