18/10 2012

Postagem Coletiva: VIOLÊNCIA NO PARTO – A VOZ DAS BRASILEIRAS

Por Alessandra | Sem Comentários

Vocês se lembram que há alguns meses postei aqui o Teste da Violência Obstétrica?

Foi uma ação de blogagem coletiva, da qual participaram mais de 70 blogs e sites brasileiros e , em pouco mais de 30 dias, foram obtidas 1.966 respostas a respeito de práticas abusivas, desrespeitosas e violentas que centenas de mulheres viveram no nascimento de seus filhos.

Pois bem , agora estamos dando mais um importante passo na luta contra a violência obstétrica. Reproduzo abaixo o texto das idealizadoras do projeto e convido você que se sentiu desrespeitada em algum momento do parto de seus filhos a enviar um vídeo e colaborar com esta preciosa causa:

“No Brasil, as discussões sobre violência no parto e nascimento ainda são incipientes e é preciso criar ferramentas e estratégias para torná-la mais conhecida, mais discutida, mais evidente, de forma que as mulheres brasileiras que passaram por tais situações tenham VOZ, efetivamente. E que, falando sobre o que viveram, ajudem a compor estratégias para evitar/impedir que outras mulheres continuem a ser sistematicamente desrespeitadas.

Assim, começamos agora uma nova ação.

Uma ação que visa tornar audível a VOZ de mulheres que passaram por algum tipo de desrespeito ou violência em seus partos.

É a “Postagem Coletiva: VIOLÊNCIA NO PARTO – A VOZ DAS BRASILEIRAS”.

Nós queremos, a partir de depoimentos individuais, compor um vídeo único, construído pelo depoimento de diferentes mulheres, em diferentes locais do país, a respeito da violência e desrespeito que sofreram no nascimento de seus filhos. Não existe, até o momento, um vídeo brasileiro como esse e acreditamos que sua divulgação poderá promover mais discussão sobre o assunto, em busca da construção de medidas e políticas efetivas no combate à violência no parto.

COMO PARTICIPAR DA POSTAGEM COLETIVA “VIOLÊNCIA NO PARTO: A VOZ DAS BRASILEIRAS”

 

A partir de hoje e até 28 de outubro, publique um post no seu blog ou perfil do Facebook convidando mulheres que tenham se sentido desrespeitadas, maltratadas ou violentadas em seus partos/nascimentos para gravar e nos enviar um pequeno vídeo contando brevemente o que viveram. Você pode fazer isso pela transcrição deste texto na íntegra ou apenas postando/compartilhando a imagem acima, que contém as instruções para o envio dos vídeos.

O vídeo poderá ser gravado de maneira simples, caseira, utilizando apenas uma câmera fotográfica, a web cam do computador ou o próprio celular. O roteiro informado na imagem tem como objetivo facilitar a gravação do depoimento e a edição posterior.

Depois de gravados, deverão ser enviados para o e-mail  videoviolencianoparto@yahoo.com.br

Após o período de envio, iniciaremos a edição do vídeo único, composto por trechos de todos os depoimentos enviados.

 

O vídeo final será apresentado oficialmente no Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, quando as autoras dessa ação apresentarão os dados sobre violência obstétrica coletados por ocasião do teste conduzido neste ano.

 

PRECISAMOS DA SUA AJUDA PARA LEVAR MAIS ADIANTE A LUTA CONTRA A VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA!

 

Envie seu depoimento!

Fale sobre o que você viveu!

Divulgue, compartilhe, poste a imagem, envie para seus contatos.

Temos apenas 10 dias para coletar todos os vídeos.

Quanto mais blogs, perfis, sites e portais entrarem nessa postagem coletiva, mais mulheres alcançaremos!

Esperamos contar com toda a rede que tem se formado em torno da defesa dos direitos femininos, inclusive os direitos reprodutivos.

 

Muito obrigada,

 

Bianca Zorzam

Ligia Moreiras Sena (www.cientistaqueviroumae.com.br)

Ana Carolina Franzon (www.partonobrasil.com.br)

Kalu Brum (www.mamiferas.com)”

 

Tags: , , ,
02/8 2012

Campanha de Amamentação 2012

Por Alessandra | Sem Comentários

O Ministério da Saúde lançou ontem a Campanha Nacional de Amamentação 2012. A campanha, que faz parte da Semana Mundial de Amamentação, tem como objetivos principais incentivar o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade e sua continuidade com alimentos complementares até 2 ano ou mais. 

Este tipo de iniciativa é importante para conscientizar mães, familiares, mas também profissionais da saúde. Infelizmente ainda é muito comum, ver pediatras prescrevendo leite em pó como complemento para bebês, incentivado a introdução de alimentos antes dos 6 meses e condenando o aleitamento materno após um ano de idade. 

Eu tive tristes experiências com médicos que disseram ser absurdo continuar a amamentar Gabriela com mais de 1 ano. Um deles disse que ela ficaria obesa por conta da amamentação continuada, algo completamente refutado por pesquisas científicas. Outros, inclusive uma nutricionista, disseram que meu leite era apenas água, mas dados da UNICEF mostram que, no segundo ano de vida, 500ml de leite materno fornece 95% das necessidades de vitamina C, 45% das de vitamina A, 38% das de proteína e 31% do total de energia que uma criança precisa diariamente. Dentistas falaram sobre a questão de fazer mal para sua arcada dentária, outro mito. E a maior das balelas, que eu estava criando uma criança insegura… quem nos conhece sabe como Gabi é decidida, segura e bastante independente para idade.

Tags: , ,
Escolhi ser Mãe | 2013
Por Alessandra Rebecchi Feitosa - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Estúdio Jabuticaba em Wordpress