Início » Coisas de mãe » Viagens internacionais com bebês

08/1 2011

Viagens internacionais com bebês

Por Alessandra | 10 Comentários

Gabriela e Giovana explorando o avião

Quando as pessoas ficavam sabendo que Bibi iria conosco para Israel, muitas pessoas reagiam surpresas e perguntavam: mas como será que ela irá se comportar no avião? E lá, terá que andar muito, como conseguirão? E se ela não gostar da comida? E se…???

Mas, como já contei, não nos preocupamos e foi tudo uma benção. Então darei algumas dicas para quem também quer se aventurar em viagens longas de avião com bebês.

>> Muitos disseram que era  proibido, mas consegui embarcar levando na bagagem de mão banana, maçã, bolachinhas e o copinho da Gabi com água.
>> Também despachei um pacote de bolachas na mala, do tipo de “amido de milho”, para garantir.
>> Leve na bagagem de mão umas duas trocas de roupa (fraldas vazam, comidas caem). Casaquinho e meia porque vôos internacionais costumam ser frios. Fraldas a mais, para garantir. Acho que levei umas 10 a bordo… rs E elas salvaram uma amiga que também estava com bebê. Não deixe todas no compartimento de bagagens de mão. Deixe uma a mão, porque às vezes é muito complicado abrir e pegar a malinha em um momento de emergência.
>> Um cobertor fininho ajuda durante as frias madrugadas.
>> Fralda de pano grande.
>> Fraldinha de boca.
>> Brinquedinhos pequenos para distração a bordo.
>> Nós solicitamos comida especial para bebês e qual não foi nossa surpresa ao nos depararmos com três potinhos Nestlé  em uma bandejinha.  Então, se seu bebê não come essa “comidinha” como a minha Gabi, não espere nada melhor para ele no avião.

Para os passeios tínhamos um carregador que compramos na Sampa Sling. Ele foi tudo de bom! Servia para carregar Bibi no colo sem cansar nossas costas, para ela dormir e mamar durante nossas longas caminhadas.
Também levávamos uma mochilinha com troca de fraldas, de roupa, água e frutas, e a fraldinha “tapa tetê”, claro. Dica: separe no café da manhã dos hotéis alimentos que seu bebê gosta de comer (frutas, iogurte, queijo, pão), eles irão ajudar nos lanchinhos entre as principais refeições.
Chapéuzinho, protetor solar e um pequeno guarda-chuva ajudam (e muito) nas horas de sol forte.

Não se esqueça de levar os remedinhos básicos da crianças. Ninguém quer usá-los. Mas precisar deles no outro lado do mundo e não ter é ruim demais.

Não espere por berços bacanas nos hotéis. Alguns dos que nos arrumaram eram feitos de um cano de PVC  com um colchão mega duro. Gabi acabava dormindo conosco nas camas que eram king size.

Guarda-chuva: item essencial para proteção contra o forte sol. Papai e Bibi nas ruínas de Massada.

Tags: , ,

10 respostas para “Viagens internacionais com bebês”

  1. Bianca disse:

    Puxa, que legal, estava a tempo procurando alguém que tivesse ido a Israel com bebês. Eu tb irei e tenho algumas dúvidas, mas agora me lembro dessa: Como vcs fizeram coma comida dela? Ela comeu a mesma coisa que vcs? A comida é mto condimentada? Meu bebê terá 1 ano e 1 mês mais um pouquinho. rs

    • alessandrafeitosa disse:

      Oi Bianca, tudo bem? O mais importante quando você vai fazer uma viagem como esta com uma criança pequena, é ter a consciência de que precisará de paciência e muita calma para entender que trata-se de uma experiência muito especial, mas com algumas limitações sim.
      A comida lá, em geral é bem condimentada utilizam bastante açafrão, mas em todos os lugares que comíamos eu conseguia encontrar uma boa opção para a Gabi (que é bastante fresca para comer, viu?). Sempre havia arroz (sem açafrão) e algum tipo de frango (eles comem muito frango à milanesa – chamam de schinitzel, ou algo assim… Rs).
      Uma dica importante é vc aproveitar o café da manhã para fazer lanchinhos para levar pelos lomgos passeios (criança tem fome em diversos momentos). Pãezinhos, queijo, algumas frutas (não era o forte nos cafés da manhã), e iogurte (eles têm uns potinhos deliciosos de baunilha que levávamos para os passeios).
      Também comprei alguns lanchinhos quando encontrei uma quitanda (banana e uma uva que era bem seca). Perto do hotel, tínhamos um mercadinho e lá compramos alguns biscoitos.
      Sou meio natureba e gosto que minha filha tenha a alimentação mais saudável possível. Mas neste tive de viagem temos que relaxar e entender que precisamos dançar conforme a música, e por um tempinno bem curto, né?
      Bibi sempre gostou de ovo e nos cafés serviam ovos mexidos (quando eram de verdade, eram ótimos).
      Uma coisa que me favoreceu é que ela ainda mamava, então, sempre tinha leite disponível.
      Dica 1: se seu bebê come papinhas industrializadas dá para levar algumas na bagagem despachada bem enroladas nas roupas. Também pode levar umas bolachinhas.
      Dica 2: levei um carregador de bebês da SampaSling que foi uma benção para carregá-la. Ela tinha 1 ano e 3 meses.
      Dica 3: lá compramos um guarda-chuva pequeno que nos ajudou a protegê-la do sol.
      Espero tê-la ajudado! Aproveite a viagem é inesquecível!
      Deus a abençoe!
      Bjs

      • Bianca disse:

        Puxa, mto obg! Me ajudou e mto! Eu li seu post e já estava lançando mão das suas sugestões. Essa de vc me falar para relaxar na comida me ajudou.. rs Tb sou chata com as comidinhas dele, ele não gosta das da nestlé, e ele tb é um pouco chatinho para comer. rs Graças a Deus ainda mama no peito e sei que isso vai ajudar, mas sabe como é criança depois que introduzimos almoço e janta, ele sente falta senão comer. Eu não tenho sling… E nem sei se eu comprar se ele ficará nele… Tenho o canguru, que só uso em ocasiões mto necessárias, pois sei que o sling é melhor. Estamos pensando em levar o carrinho. O que vc acha? Será que dá para usar nas caminhadas? Vc foi em que época? Em que mês? Saíram do Rio de Janeiro? Ele não toma outro leite… To pensando em mingaus. O que acha? Fico pensando que pode ficar desnutrido. rsrs

        • alessandrafeitosa disse:

          Oiiiiiii!!! Desculpe a demora em responder, tive que ficar um tempo ausente.
          Então, sobre o voo até que foi tranquilo. A maior parte deles foi a noite e Gabi dormia tranquilona. Só as costas da gente que sofrem porque dormir naquelas poltronas com uma criança o colo não é mole. Uma dica é fazer a reserva para as primeiras poltronas, geralmente deixadas para pessoas com necessidades especiais ou com crianças de colo mesmo. Às vezes só se consegue isso no check-in. Do mais, ela mamava para decolar e pousar e isso é mto bom para os ouvidinhos.
          Gabi tb não gosta de papinhas industrializadas. Na época pedi comida para bebês e fiquei um pouco chocada quando a comissária trouxe as famosas do vidrinho. Na minha mente viajante achei mesmo que seria uma comidinha gostosa para crianças pequenas.
          Não se preocupe, ele não ficará desnutrido. Só o seu leite já é quase 100%, o resto virá da alimentação que irá ter por lá (lembre-se de fazer marmitinhas no café da manhã par o resto do dia.).
          Só leve carrinho se for no estilo guarda-chuva (ocupa menos espaço – acho que da para levar na cabine do piloto) e tiver um ônibus sempre disponível para deixa-lo quando o terreno não for amigável (a maioria não o é). Ajuda mto nos aeroportos e outros lugares com piso mais bacana.
          Não levei sling pq Bibi já estava bem pesadinha. Para a viagem comprei um carregador da Sampa Sling (http://www.sampasling.com.br/produtos/31/caqui-c:-cashimere-e-flores), que ajuda a segurar e distribuir melhor o peso. O legal era que dava para revesar com meu marido 😉
          Bom, espero ter ajudado. Se surgirem outras dúvidas é só escrever!
          Bjs e Deus abençoe

  2. Bianca disse:

    Ah, e tb como foi no voo? Vi que demoraremos quase um dia para chegar até ao hotel… Saírei um dia do Rio e só chegarei no hotel dia seguinte, à noite…

  3. Bianca disse:

    Alessandra, tenho procurado pela net pessoas que tenham ido a Israel com uma criança de 1 ano e pouco e só encontrei vc! Ando tão ansiosa… Mas tenho pedido a Deus calma. Ele toma alguns remédios, como polivitamínico, sulfato ferroso e vitamina C. Acha melhor colocá-los na mala para despachar? Preciso levar 50 fraldas… rs E devo levar uns 15 potes de industrializados. Meu filhote já anda. Como vc fez com as roupinhas da Gabi? Criança se suja muuuiiitooo! rs

    Ah!Vc levou outro leite para a Gabi tomar? Agora tenho dado Ninho +1 para meu filho, fazendo vitamina, o que vc acha? Será que dá para usar a cozinha do hotel? rs

    • alessandrafeitosa disse:

      Olá Bianca,
      Dê uma olhada neste blog: http://familiamsrocha.blogspot.com.br/search?q=israel
      É de uma grande amiga minha que também viajou conosco para Israel. Sua Giovana tinha a mesma idade da minha Gabi e ela passou pelas mesmas inseguranças que nós diante de uma viagem dessas 😉
      Lembro-me de ter levado os remédios que poderiam ser necessários (tipo Alyvium…) na bagagem de mão mesmo. Se tiver uma receita do seu médico melhor ainda. Levei bastante roupa e fraldas… pense em duas trocas por dia… vc vai quando? Eu fui no final de outubro e estava bastante quente, roupas de frio só a noite e olhe lá. Gabi só começou a tomar outros leites recentemente, entao, nao sei opinar sobre isso. dependendo do hotel vc consegue sim. No geral, lembro de ver alguma coisa para esquentar água para chá nos meus quartos, então pode ajudar com o leite dele.
      Ah, leve trocas de roupas da mala de mão e muitas fraldas. Lembro de ter levado muuuitas… mas foi bom!
      Bjs

      • Bianca disse:

        Vamos em setembro. Acho que estará bem quente. Meu filho, graças a Deus ainda mama no peito, mas tenho dado pela manhã e noite outro leite para fazer vitamninas ou mingau de aveia, para encher mais a pancinha. rs Mas pelo fato de ainda mamar, e vc ter me tranquilizado bastante sobre muitas questões, poxa, me ajudou mesmo. Tô anotando tudinho aqui. Já vi o blog que me indicou e já escrevi lá. rs Temos esse mês de agosto para resolver tudo.

        Todos os dias entrava aqui para ver se vc me respondia. rs Até te escrevi no twitter. Desculpa te incomodar, mas vc é mamãe e sabe como é essa aflição. rs

        Alessandra, como vcs fizeram para se comunicar com as pessoas daqui? Por internet? Como isso funciona por lá?

        • alessandrafeitosa disse:

          Oi Bianca, tudo bem?
          Bom, a melhor – e mais barata – maneira de comunicação é a internet mesmo. Via Skype, MSN, Facebook… Todos os hotéis – mesmo os mais simples – tinham acesso a internet wi-fi no quarto e na recepção. Cada um do grupo levou seu notebook/ tablet/ iphone e maí era só logar.

          Beijão

  4. Bianca disse:

    Oi Alessandra! Acabamos de voltar de Israel e não tenho palavras para descrever o que vivemos! Mas estou aqui para agradecer pelas suas dicas que me ajudaram muito e deixar aqui mais umas diquinhas para quem for com uma criança a Israel. Então segue aí:

    1- Também consegui passar com frutas e algumas papinhas industrializadas na bolsa, e olha que minha conexão foi em Paris (eles são um pouquinho chatos rs). Então, tanto na ida quanto na volta, passei sem problemas.
    2- Ouvi mto sobre mala extraviada, e teve um caso de um casal que umas das malas foi extraviada, então, eu levei uma mochila com algumas fraldas, roupas do bebê. Meu marido também levou uma com as mesmas coisas, e também com algumas peças de roupas nossas. Essas duas mochilas não despachamos.
    3- O meu filho estava com 1 ano e 1 mês. Ficou bem tranquilo no voo, mas no voo longo (10 horas), como era uma nave da Air France (Jumbo), pagamos mais 70 euros por pessoa para irmos no andar superior, que é mais espaçoso. Então, se você puder, faça isso, pois terá mais espaço para esticar as pernas, e vc não sentirá muito…
    4- Se o seu filho mama no peito, você não precisa se preocupar se ele não comer direito por lá. O meu filho não comia as comidas de lá por vários motivos: geralmente estava dormindo na hora do almoço pois ficava exausto, os dentes resolveram incomodar, pois estavam nascendo… Eu levei papinhas industrializadas para apenas uma vez ao dia, então eu dava à noite, no quarto, quando estava mais calminho, e durante o dia o que eu conseguia dar. Mas o peito era em livre demanda! Minha maior preocupação era ele ficar doente, mas graças a Deus isso não aconteceu. Ah! Também quando eu conseguia dar a papinha no almoço, à noite, como tinha jarra elétrica nos quartos, eu conseguia fazer uma mingau de aveia (eu levei a aveia em flocos finos e o leite em pó que ele tomava).
    5- Eu me esqueci de levar o protetor solar para o meu filho, mas graças a Deus algumas pessoas usavam protetor de criança, então eu passava nele. Então, não esqueça o protetor e a sombrinha, porque dependendo da época, é solaço, sem nenhuma nuvem no céu! rsrs

    Lance mão de todas as dicas aqui postadas pela Alessandra e por mim e aproveite essa viagem maravilhosa!

    Bianca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolhi ser Mãe | 2013
Por Alessandra Rebecchi Feitosa - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Estúdio Jabuticaba em Wordpress